Saúde

Chocolate Aumenta a Pressão Arterial? Cuidados e Dicas

onfira se é verdade que chocolate aumenta a pressão arterial ou se esse não é um de seus efeitos, além de ver cuidados e dicas para consumo.

O consumo anual médio de chocolate por cada brasileiro é de 2,2 kg, de acordo com a ABICAB – Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Baladas e Derivados. O Brasil é o terceiro maior produtor e o quarto maior consumidor de chocolate do mundo.

Já de acordo com o Ministério da Saúde, a pressão alta afeta um em cada quatro brasileiros adultos. Mas será que há alguma relação entre esses dados?

O chocolate aumenta a pressão arterial mesmo?

Muitas pesquisas foram realizadas à procura dos benefícios do chocolate para a saúde, e alguns delas relacionam efeitos positivos do chocolate para a pressão arterial, enquanto outras questionam esses resultados.

Embora uma caixa de bombons possa parecer o oposto de algo saudável, especialistas afirmam que o mais importante é saber fazer boas escolhas alimentares.

De acordo com o banco de dados de nutrientes do Departamento de Agricultura dos EUA, uma barra padrão de chocolate amargo com cerca de 70% a 85% de cacau contém cerca de 600 calorias e 24 gramas de açúcar, enquanto que o chocolate ao leite contém aproximadamente a mesma quantidade de calorias, porém o dobro de açúcar.

É por isso que quando o assunto é pressão alta, é muito importante ficar atento ao tipo de chocolate que irá consumir.

A maioria dos chocolates faz parte de umas das seguintes categorias: chocolate ao leite, chocolate amargo ou chocolate branco. É a proporção de sólidos de cacau que são feitos de grãos de cacau misturados com manteiga de cacau e açúcar que determina o quão escuro (amargo) será o chocolate.

O chocolate ao leite, um dos mais populares, contém cerca de 10% de cacau – pasta feita de grãos de cacau moídos, torrados, descascados e fermentados que contém tanto sólidos de cacau sem gordura como manteiga de cacau – enquanto que o chocolate amargo, o mais escuro, contém um mínimo de 35%.

Já o chocolate branco contém apenas manteiga de cacau combinada com açúcar e outros ingredientes. Não há sólidos de cacau neste tipo de chocolate, que para muitas pessoas nem é considerado chocolate.

Chocolate e doença cardíaca

Um estudo epidemiológico holandês chamado Zutphen Elderly Study vinculou o consumo de chocolate em homens mais velhos à redução da pressão arterial e à redução do risco de doenças cardíacas e mortes.

Os pesquisadores entrevistaram os homens uma vez a cada 5 anos durante 15 anos perguntando com que frequência eles comiam produtos de cacau e todos os outros tipos de alimentos. Aqueles que consumiam uma grande quantidade de cacau tendiam a apresentar pressões sistólicas (o número mais alto da pressão arterial) cerca de 4 pontos mais baixos e pressões diastólicas (o número mais baixo da pressão arterial) cerca de 2 pontos mais baixos do que os homens que comiam uma quantidade menor de cacau.

Os homens que comiam mais cacau também tinham uma probabilidade 50% menor de morrer de doença cardíaca e 50% menor de morrer de qualquer outra doença. Este é definitivamente um resultado mais impressionante do que os 4 pontos de pressão sanguínea.

Este estudo é frequentemente citado pelos pesquisadores como evidência de que o chocolate é bom para o coração, porém, por outro lado, os homens que comiam mais alimentos de cacau também eram mais propensos a beber mais bebidas alcoólicas, comer menos carne, mais laticínios com pouca ou moderada gordura em vez daqueles ricos em gordura, comer mais açúcar, biscoitos, doces, sementes e nozes além de comer mais calorias e beber menos café.

Além disso, pode ter havido outros inúmeros fatores que não foram levados em consideração, entre eles o enorme erro envolvido ao perguntar às pessoas com que frequência elas comiam chocolate (ou qualquer outra coisa) nos últimos cinco anos.

Sendo assim, como você pode notar, este estudo é um pouco confuso, e por se tratar de um estudo epidemiológico, ele não pode provar que o chocolate foi a razão pela qual alguns homens pareciam se sair melhor que outros.

Experiências clínicas são necessárias para provar ou refutar a conexão. Numerosos estudos, sendo que muitos foram financiados por empresas de chocolate, foram realizados nos últimos anos para tentar descobrir quais ingredientes no chocolate podem ser responsáveis pelos seus benefícios à saúde do coração e como esses ingredientes funcionam no corpo.

Chocolate e pressão arterial

Uma revisão realizada em 2012 resumiu os resultados de 8 ensaios clínicos randomizados controlados de chocolate amargo na pressão sanguínea em humanos. A maioria dos estudos utilizou chocolate branco como controle.

Os estudos foram pequenos e breves, mas a maioria deles descobriu que o chocolate amargo reduziu a pressão arterial em alguns pontos em pessoas com hipertensão leve a moderada.

Os tipos e quantidades de produtos de chocolate que foram usados variaram muito, indo de 6 gramas de chocolate amargo, 100 gramas de chocolate amargo a bebidas de cacau enriquecidas, e todos esses produtos continham diferentes quantidades de flavonoides – compostos químicos presentes no chocolate e em frutas, chás e vegetais que têm como efeito mais importante a propriedade antioxidante.

Chocolate e vasos sanguíneos

Vários estudos observaram como as artérias se comportam depois de comer cacau ou chocolate, e a grande maioria dos estudos demonstrou que os produtos de cacau ajudam os vasos sanguíneos a relaxar, melhorando o fluxo sanguíneo pelas artérias.

Para que isso aconteça, a dose necessária variou entre 2 e 5 mg de cacau, que é equivalente a cerca de uma colher de chá de cacau em pó. Esses efeitos foram observados em uma ampla variedade de pessoas – jovens saudáveis, fumantes, idosos saudáveis, obesos, diabéticos e pessoas que já sofrem com doenças cardíacas.

O que dizem as pesquisas que afirmam que chocolate diminui a pressão arterial

Como você pode ver, há controvérsia em relação ao assunto. Um estudo realizado por pesquisadores do Hospital Universitário de Colônia, na Alemanha, descobriu que as pessoas que comiam uma pequena quantidade de chocolate amargo por dia durante 18 semanas tiveram um declínio estatisticamente significativo na pressão sanguínea.

Por que o chocolate pode aumentar a pressão arterial

Pesquisas que defendem que o chocolate aumenta a pressão arterial explicam que este doce contém cafeína, que é um estimulante que pode aumentar temporariamente a pressão arterial.

No caso das pessoas que já sofrem com pressão alta, é provável que a cafeína presente no chocolate aumente a pressão sanguínea em um grau maior do que nas pessoas que apresentam pressão arterial normal.

De acordo com o Departamento de Agricultura dos EUA, uma barra de 100 gramas de chocolate tem cerca de 86 mg de cafeína, e isso é mais do que uma xícara de café. Por isso, se você evita tomar café para não aumentar a sua pressão sanguínea, deve evitar também o chocolate, ou pelo menos limitar-se a pequenas quantidades.

O açúcar presente no chocolate também pode ser um vilão por trás de qualquer aumento da pressão arterial. Um estudo publicado no Archives of Internal Medicine aponta para níveis elevados de açúcar no sangue como um fator que contribui para o desenvolvimento da pressão alta.

Dicas e cuidados

Como dito no início deste artigo, há basicamente 3 tipos de chocolates, sendo que normalmente o branco e o ao leite são os que apresentam uma quantidade maior de açúcar. Por isso, se você sofre com problemas de pressão alta, o ideal é optar pelo chocolate amargo. Entenda se o chocolate amargo é saudável mesmo.

A quantidade de sólidos de cacau presente no chocolate amargo é muito importante pois, de acordo com algumas pesquisas, ela pode ser um indicador da quantidade de flavonoides da dieta, e pesquisas indicam que o seu consumo está associado a um risco menor de doença cardíaca coronária.

Como você pode ver, há pesquisas que confirmam que o chocolate amargo pode baixar a pressão arterial, e novamente, esse fato ainda é um pouco controverso. Porém, de fato esse tipo de chocolate é a melhor opção, já que contém mais cacau e menos açúcar quando comparado aos outros.

Para outras pesquisas, o chocolate aumenta a pressão arterial, por isso, se você tiver um aumento da pressão depois de comer chocolate, o mais seguro a se fazer é parar de comer e consultar o seu médico. Pode ser que você seja sensível a cafeína, açúcar ou outro ingrediente presente no chocolate.

Caso o aumento da pressão arterial ocorra devido ao açúcar ou cafeína, evite alimentos que contêm quantidades excessivas dessas substâncias, como o café e outros alimentos ricos em cafeína.


Como tratar a celulite sem cair em furadas?

Vira e mexe aparece um novo tratamento contra a chateação. Fomos atrás do que realmente vale a pena pagar — nas farmácias e nas clínicas

Popular e democrática que só, a celulite dá as caras, segundo estimativas, em nada menos que 95% das mulheres. Não é à toa que a indústria cosmética investe pesado em tratamentos para amenizar o aspecto de casca de laranja que pode estampar regiões como coxas, bumbum e companhia. São princípios ativos para cremes, injeções aplicadas em consultório médico, aparelhos que emitem ondas usados em clínicas de estética, e por aí vai.

No último congresso da Academia Americana de Dermatologia, uma das sensações foi uma fórmula testada com sucesso em quadros moderados e severos: as aplicações de uma enzima chamada Clostridium histolyticum collagenase.

Há todo um caminho que novos produtos ou tecnologias têm de percorrer dos laboratórios até o mercado. E, embora a promessa das novidades seja quase sempre tentadora, os especialistas deixam claro que nenhum tratamento faz o trabalho sozinho. Isso porque existem vários fatores por trás da celulite.

“Ela é causada por acúmulo de gordura, prejuízo na drenagem linfática e deterioração do colágeno que sustenta o tecido gorduroso”, expõe a dermatologista Kédima Nassif, que atua em Belo Horizonte e é membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica.

Por isso, eliminar ou minimizar os furinhos costuma depender de ações em todas essas frentes. “Não adianta, por exemplo, utilizarmos um aparelho que ajuda a remover a gordura se não tratarmos a pele em si. Se isso não for feito, haverá flacidez depois”, exemplifica a farmacêutica e cosmetóloga Mika Yamaguchi, diretora científica da Biotec Dermocosméticos, empresa fornecedora de matérias-primas para cosméticos.

Mesmo quem torce o nariz para as novidades da indústria e prefere uma solução mais natural deve ter cautela. Os experts alertam que receitas caseiras quase nunca são eficazes e ainda podem render irritações à pele.

O ponto é que não adianta investir no creme mais moderno ou na última tecnologia de ponta se você não fizer sua parte mudando alguns hábitos. “Isso envolve evitar o ganho de peso, se exercitar regularmente, tomar bastante água, comer fibras, evitar o cigarro e não exagerar na bebida alcoólica“, resume a dermatologista Paola Pomerantzeff, da capital paulista.

Conheça três ativos que, segundo evidências, ajudam a combater a celulite quando incorporados a cremes

Cafeisilane C: esse ingrediente é uma versão modificada da cafeína — substância empregada há tempos contra os furinhos. “Ela tem penetração maior do que a cafeína convencional, sendo mais eficaz na quebra da gordura e no aumento do metabolismo”, explica a cosmetóloga Mika Yamaguchi.

Alvo de um experimento na Faculdade de Farmácia da Universidade de São Paulo, o ativo apresentou ótimos resultados.

Centella asiática: essa planta é utilizada na medicina indiana há mais de 3 mil anos e a ciência moderna deu seu aval para tratar a celulite. “Ela melhora a circulação sanguínea, reduz a inflamação da região e estimula a síntese de colágeno”, conta Kédima Nassif. Essa atuação favorece a quebra da gordura, combate a retenção de líquido que leva ao inchaço e melhora a firmeza e o aspecto da pele. Tripla ação para diminuir a aparência de casca de laranja.

Exsynutriment: o princípio ativo é obtido do silício e concebido para ser usado na forma de cápsulas. “Ele é indicado para estimular a produção de colágeno, melhorando a resistência da pele e preenchendo os espaços que se encontram vazios, o que não só potencializa o efeito contra a celulite como ajuda a evitar a flacidez após a eliminação da gordura”, diz Mika. As cápsulas são indicadas para complementar a ação dos cremes.

8 mitos e verdades sobre a celulite
Roupa apertada influencia?

VERDADE. Sim, essas peças prejudicam a circulação do sangue e a eliminação das toxinas.

Só mulher tem celulite?

MITO. Não, mas ela é, de fato, bem mais comum nelas devido ao acúmulo de líquido e gordura.

Pílula agrava?

VERDADE. Pode acontecer, porque o anticoncepcional interfere nos hormônios e na retenção de líquido.

Massagem acaba com ela?

MITO. Algumas são coadjuvantes por atuarem na drenagem linfática. Mas não há milagre.

Refrigerante piora o quadro?

VERDADE. Quem exagera pode encarar a celulite por causa do açúcar e do sódio, este também na versão light.

Só aparece depois dos 25?

MITO. Não é bem assim. Ainda mais com os quilos extras, pode dar as caras a partir da puberdade.

Fumar piora as coisas?

VERDADE. Pode apostar. O cigarro afeta a circulação e o colágeno da pele, contribuindo para os furinhos.

Cremes são melhores após o banho?

VERDADE. Sim, depois de uma ducha quente ou do exercício, o corpo está mais apto a absorver os ativos.

Celulite tratamento

Por isso foi desenvolvido cellufix para tratamento da celulite, esse produto é um creme maravilhoso para remover celulite, com cellufix é bye bye celulite, cellufix é um anticelulite ótimo.


Compartilhe